Nova metodologia chega à escola

2009

Pensar a metodologia foi a base do trabalho em 2009. Como para a ELC não existe ação sem procedimentos de execução, conseguir nortear este formato foi tarefa árdua. Os dois primeiros anos haviam sido de muita experiência, de ampliação das atividades no território e agora chegava a hora de concentrar as forças para criar uma metodologia que fosse o elemento norteador de agora em diante – a experiência com os núcleos havia se finalizado e agora era a ELC no bairro de Miguel Couto e seu braço no áudio, a Escola Livre de Música Eletrônica na Cerâmica.
DSC01509

Para chegar nesse objetivo, diversas estratégias foram montadas e novamente Marcus Faustini foi fundamental no auxílio à coordenação da ELC, contribuindo metodologicamente com experiências vanguardistas. Juntar a equipe de coordenadores, produtores e mediadores semanalmente para uma capacitação com base nos eixos “palavra, corpo e território”, dinamizou o processo e rendeu a estruturação metodológica de trabalhar o audiovisual na sala de aula. Nesse mesmo ano, a Escola Livre de Cinema e Escola Livre de Música Eletrônica produziram juntas, com técnicas de animação (prioritariamente colagem), 4 curtas-metragens baseados em contos de Câmara Cascudo: “O Bem se Paga com o Bem”, “O Velho Ambicioso”, “Mata Sete” e “O Mendigo Rico” – os filmes, que foram produzidos em paralelo ao trabalho realizado com a equipe, trazem elementos fundamentais em nossa metodologia até hoje, como a palavra trabalhada a partir dos contos, o cenário feito com objetos “catados” no território pelos alunos e os alunos interpretando os personagens dos contos (o corpo).
DSC02265

O processo metodológico para as oficinas dos jovens e adultos começou com a busca por uma dinâmica que apontasse diretamente para a ação. As aulas tornaram-se mais práticas na Turma de Capacitação em Audiovisual, e diversas áreas do audiovisual foram expostas aos alunos (da fotografia a direção de arte) para que eles às colocassem em prática a partir de trechos do roteiro “Lelo” de Marcus Faustini, que também fazia parte do corpo docente. Além disso, as oficinas para jovens e adultos ganharam novidades: uma Turma de Animação; uma Turma de Desenvolvimento de Projetos, que em parceria com o projeto Colisão e a UFRJ, premiou o projeto do aluno Alexandre da Silva com o valor de R$ 1.000,00; um Programa de Apoio à Produção, que premiou o roteiro da aluna Valéria Gomes, também com o valor de R$ 1.000,00; e o Mergulho Cinematográfico de Verão, com aulões de Daniel Schenker e Rodrigo Fonseca, que aconteceu competindo com o Sol e calor da Baixada em pleno dezembro.
2009

Ainda no ano de 2009, tivemos a segunda edição do Iguacine em agosto, sucesso total de público, não deixando nada a desejar a nenhum festival realizado na capital. Mas o grande passo desse ano foi o início do trabalho com as professoras da rede municipal de ensino, apresentando a elas diversas técnicas audiovisuais para que elas às aplicassem dentro de sala de aula. A ideia era levar para além das paredes da ELC a nossa metodologia, que com base na pesquisa de Avaliação Econômica de Projetos Sociais feita em parceria com o Itaú Social e a Agência de Pesquisa de Nova Iguaçu, trouxe o resultado de que os alunos expostos à metodologia da ELC possuíam um índice de aprovação de 15% maior que os demais e o rendimentos escolar nas disciplinas de Português e ILPT (Incentivo à leitura e produção de texto) tinha um crescimento de 7 pontos na média total.
Iguacine II