dest

Oficina de Produção de Festivais – chegamos na metade!

TOPO

No último sábado, dia 26/09, chegamos na metade da Oficina de Produção de Festivais e o encontro foi dedicado a colocar a mão na massa com um exercício prático: os participantes se dividiram em grupos e foram estimulados pelos mediadores a criar uma mostra ou festival pensando tema, curadoria e programação livres mas com a duração de 5 dias – a mesma do 4º Iguacine, festival de cinema que a ELC vai realizar aqui em Nova Iguaçu em novembro e onde alguns alunos irão estagiar.

Após 1 hora debatendo e montando a programação, composta de filmes – eles precisavam indicar pelo menos 2 filmes que dialogassem com a temática para exemplificar o recorte da curadoria -, palestras, debates, oficinas e/ou exposições, 4 grupos apresentaram suas propostas e exibiram seus exemplos de filmes, discutindo com a turma sobre suas escolhas.

GRUPO 1

GRUPO 1

Mostra Cinecomu: aproximar os moradores de territórios populares da representação no cinema desses espaços.
Temática: filmes sobre territórios populares.
Local: Praça da Liberdade – Centro – Nova Iguaçu (em frente à estação de trem)
Atividades paralelas: oficina de produção audiovisual com exibição dos filmes realizada numa mostra competitiva no último dia do evento.
Exemplos de filmes: “Estamira” de Marcos Prado e “Antônia” de Tata Amaral

GRUPO 2

GRUPO 2
Mostra Baphos Periféricos: discutir as questões em torno da população LGBT e suas representações no cinema nacional.
Temática: filmes sobre a população LGBT.
Local: Praça Santos Dumont – Centro – Nova Iguaçu / Boite Site Club – Califórnia – Nova Iguaçu
Atividades paralelas: exposição de fotos, oficinas e shows.
Exemplos de filmes: “Favela Gay” de Rodrigo Felha e “Protagonismo Trans” de Luis Carlos de Alencar

GRUPO 3

GRUPO 3
Mostra de Cinema das Minas Pretas: ampliar a visibilidade das mulheres negras produtoras audiovisuais e a representação da mulher negra no cinema nacional.
Temática: filmes produzidos por mulheres negras e suas representações no cinema.
Local: Teatro Raul Cortez – Praça do Pacificador – Centro – Duque de Caxias
Atividades paralelas: oficinas, palestras, debates e shows
Exemplos de filmes: “Elekô” de Mulheres de Pedra e “Cores e Botas” de Juliana Vicente

GRUPO 4

GRUPO 4
Cinema Indígena – o papel da mulher na aldeia:
Temática: filmes que tratem da representação da mulher nas aldeias indígenas.
Local: Aldeia Maracanã – Maracanã – Rio de Janeiro
Atividades paralelas: oficinas, palestras, debates, feira e shows
Exemplos de filmes: “As Hiper Mulheres” de Carlos Fausto, Takumã Kuikuro e Leonardo Sette e “PI’ÕNHITSI, Mulheres Xavante sem Nome” de Divino Tserewahú e Tiago Campos Torres

No próximo sábado é dia de falar sobre identidade visual, realizar brainstorm sobre o evento – fechar nome, programação, horário – e ainda fazer visita técnica no local onde acontecerá o evento. Semana que vem a gente posta aqui como foi. NÂO PERDE!

montagem1

montagem2

 

Comentários

  • Luis Caio

    Eiloôu porque numtõnessaheimmm… meu povo de cultura elevada ou de roupa lavada, muito bom ter pouco, muito ruim ter muito… dependendo da sua cor, quem viver verá, quem levou lavou, agora ouça q vou falar, quem derramõ meu amor, viva o cinema, viva nosso amor pela arte e viva a arte do amor… Viva a ELC. Mas não me deixem de fora meu povo…